Bailado Gaúcho abre Festival Internacional de Folclore de Nova Prata

A família, a fé, a terra e o futuro serão os motes do espetáculo do Bailado Gaúcho, que abrirá o Festival Internacional de Folclore de Nova Prata ? 14ª edição. O grupo pratense, que encerra as comemorações dos seus 25 anos em setembro, trará o tema do Festival ?Gente da Terra? para o palco. O objetivo é apresentar as etnias que formaram a região e a cidade de Nova Prata.

– Visitamos famílias de italianos, poloneses, alemães e afros para entender a trajetória de cada um e a relação com a terra, explica o bailarino do Bailado, Patryk Galvan.

A primeira parte do espetáculo trará a temática família, com destaque para as relações e costumes das pessoas que cultivam a terra; na segunda, a espiritualidade e a fé em busca de uma vida melhor; o terceiro ato traz o preparo da terra e a semeadura; e a esperança de uma terra mais promissora encerra o espetáculo do Bailado. O grupo será responsável pela abertura das cinco noites de evento e trará para o palco coreografias, música ao vivo, vídeos e teatro, tornando o espetáculo dinâmico e atraente. O ponto alto ficará por conta da participação de um coral.

Além do Bailado Gaúcho, outros nove grupos de Nova Prata se apresentarão no Festival: Bailadinho, Abadá, APAE, Associação Comunitária de Deficientes (ASCODEF), CTG Querência do Prata, CTG Retorno à Querência, Grupo Afro, Grupo Cala e Grupo Kalina. Nesta edição serão 22 grupos, entre nacionais e internacionais, de 13 países diferentes: Alemanha, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Lituânia, Panamá, Paraguai, Peru, Polônia, República Tcheca e Uruguai.

As apresentações ocorrem às 19h30min, de quarta-feira a sábado, e às 18h30min, no domingo, no Ginásio Alcides Tarasconi, no bairro Santa Cruz. O Festival Internacional de Folclore de Nova Prata ? 14ª edição, que ocorre de 19 a 23 de setembro, é uma realização do Bailado Gaúcho ? Folclore, Arte e Danças, com apoio da Febrarp, Fidaf, I.O.V., Mundo em Dança, Ministério da Cultura ? Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet); patrocínio da Paludo ? sua moda, seu estilo; AdylNet ? conectando você ao mundo; Vipal Borrachas; Pratavera Transportes; Auto Pratense ? distribuidora de autopeças; Casa Trevo Bavaresco; Supermercados Porta; Ficagna Imóveis; Sicredi; Corsan; Uniasselvi; Una idiomas; Gráfica Monarca; Miltons; Origami Gráfica Expressa; Voope; Sartori Construções; Poletto Contabilidade; Caldas do Prata; Clip; Bos Serviços de Limpeza; JC Metalúrgica; Cendron Esquadrias; Guedes Extintores; Unimed; CDL Nova Prata; Município de Nova Prata e Câmara de Vereadores. O Financiamento é do Sistema Pró-Cultura RS LIC, Lei nº 13.490/2010, do Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Ingressos

Quarta-feira

R$ 8 para arquibancada

R$ 12 para cadeira

Quinta, sexta-feira e domingo

R$ 12 arquibancada

R$ 15 cadeira

Sábado

R$ 18 arquibancada

R$ 15 cadeira

Compras

Cadeiras: Centro de Informações Turísticas

Arquibancada: Centro de Informações Turísticas, Na AdylNet Nova Prata e Lojas Paludo de Nova Prata, Veranópolis e Nova Bassano

Sobre os grupos brasileiros participantes:

Bailado Gaúcho

O Bailado Gaúcho, idealizador e realizador do Festival, tem como principal objetivo interpretar e divulgar o folclore brasileiro em seus mais variados aspectos e nuances, traduzindo a multiplicidade cultural de um país formado por diferentes etnias, ritmo e cores. O grupo teve destacadas participações em eventos e Festivais Internacionais de Folclore no Brasil, Argentina, Paraguai, Itália, Chile, México, Uruguai e Rússia (durante as comemorações dos 850 anos de Moscou).

Bailadinho

Um dos tantos sonhos do Bailado Gaúcho era a formação de um grupo infanto-juvenil com vistas à renovação e o futuro da entidade. Foi assim que surgiu o Bailadinho, em 2005, quando crianças e adolescentes, músicos e dançarinos foram selecionados e iniciaram seus ensaios, culminando com a estreia no 8º Festival Internacional de Folclore de Nova Prata.

Abadá

A Abadá-Capoeira é uma entidade sem fins lucrativos, que tem como objetivo a difusão da cultura brasileira por meio da capoeira. Fundado em 2013, o grupo reúne mais de 40 alunos, com idades entre quatro e 17 anos, que aprendem e desenvolvem os aspectos da capoeira: jogo, luta, dança, artesanato, musicalidade, história e cultura. Além disso, por meio da capoeira, são trabalhados a disciplina, o respeito e valores coerentes com a ideia de cidadania.

APAE

A APAE atua há 50 anos no município de Nova Prata e conta com 80 alunos com deficiências intelectuais e múltiplas que recebem atendimentos em diferentes áreas, além de oficinas de artes, dança e música.

Ascodef (Associação Comunitária de Deficientes de Nova Prata)

A ASCODEF conta com 165 membros, com crianças a partir de 1 ano, adolescentes, adultos e idosos. A associação desempenha trabalhos, sob a responsabilidade de profissionais e voluntários, em diversas frentes, como na área da saúde, da educação, das artes, do físico do psicológico e da assistência Social, além da dança.

CTG Retorno à Querência

Fundado em 1985, o CTG Retorno à Querência tem como Patrão Gilmar Antônio Busato e conta com cerca de 100 sócios e 80 integrantes de várias idades, que fazem parte da Invernada Pré-Mirim, Mirim e Juvenil. O grupo participa ativamente de eventos no município, além de desenvolver projetos sociais e culturais, como campanhas e trabalhos voluntários para divulgar, cultivar e manter vivas as tradições do Rio Grande do Sul.

CTG Querência do Prata

Com 56 anos de história, o CTG Querência do Prata tem como lema ? Chimarreando no presente pela glória do passado? e conta com mais de mil associados em suas diferentes categorias. Entre seus expoentes, encontram-se laçadores, ginetes, declamadores, intérpretes vocais e instrumentais, chuleadores e muitos integrantes de suas invernadas artísticas. O CTG tem a coordenação do Patrão Wagner Antonio Zottis.

Grupo Afro

Criado por jovens do Bairro São João Bosco, Nova Prata, há mais de 15 anos, o Grupo Afro iniciou com dança de rua (funk) e Afro, com horas cívicas na escola Padre Josué Bardin e em outros colégios do município. Voltou as atividades em 2017, em um projeto da Escola, com remanescentes, filhos, netos e uma nova geração. O grupo tem como objetivo resgatar e preservar a cultura afro-brasileira por meio da dança, com o intuito de despertar nas pessoas a consciência voltada à integração e a valorização da vida.

Grupo Cala

O CALA – Cultural Artístico Latino América é um grupo de danças folclóricas e tradicionais, fundado em 1994. Em seu repertório, danças do folclore gaúcho, brasileiro e latino americano. O Cala já se apresentou em festivais de folclore no Brasil e no exterior.

Grupo Kalina

O grupo tem sua origem em 1989, na Linha Sexta de Nova Prata, quando crianças se reuniam para aprender danças do povo polonês. A BRASPOL é um movimento de resgate da cultura polonesa no Brasil e o Kalina é uma célula, onde voluntários adolescentes e jovens ensaiam para formarem-se dentro da cultura polonesa. O grupo já realizou mais de 430 apresentações em todo o Brasil, e em 2005, no Festival Mundial do Folclore Polonês, na Polônia.

Fonte: Adri Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *